• Quem é Quem - Profhistória
  • Facebook
  • Youtube

Lista das dissertações dos alunos do ProfHistória



Limpar

Foram encontrados 408 registros

Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
ADILEIDE MACIEL DA CRUZ ENSINO DE HISTÓRIA INDÍGENA E IDENTIDADE: QUEBRANDO ESTEREÓTIPOS ATRAVÉS DA ELABORAÇÃO DE JOGOS SOBRE OS LAKLÃNÕ-XOKLENG 2020 SANDOR FERNANDO BRINGMANN UFSC
Resumo
O objetivo principal desta pesquisa foi a transformação das minhas aulas de História do Brasil em nível de Ensino Médio. Como professora efetiva da rede estadual de SC, atuando na E.E.B. Paulo Zimmermann, município de Rio do Sul/Santa Catarina, percebi o quanto as populações indígenas são estereotipadas pelos estudantes desta escola. Por isso, considerou-se importante trazer elementos discutidos a nível acadêmico, como temas relativos à construção da identidade, decolonialidade, etnicidade, sintetizá-los e trabalhar com os estudantes do E.M. Como proposta metodológica utilizou-se a pesquisa-ação, onde, com a participação dos estudantes, busquei contribuir para a implementação da Lei 11.645/2008 na escola, abordando questões relacionadas à temática étnico-racial, à História Indígena e a História dos Laklãnõ-Xokleng, construindo jogos didáticos como ferramentas de ensino e aprendizagem. Ao transformar as aulas de meramente expositivas em participativas/atuantes, objetivamos alcançar de forma mais efetiva os estudantes, para que juntos fosse possível diagnosticar e refletir acerca de estereótipos construídos sobre a comunidade indígena Laklãnõ-Xokleng. Assim, busquei ultrapassar a barreira de preconceitos e de esquecimentos ao questionar a si e aos outros, além de construir novos conhecimentos que ficaram concretizados em materiais produzidos pelos próprios estudantes, o que, neste caso, foi representado pelos jogos didáticos de história indígena.
Palavras-chave
ProfHistória; Ensino de História Indígena; Lei 11.645/2008; Laklãnõ-Xokleng; Pesquisaação; Jogos Didáticos
Link
Dissertação
Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
MARCOS ANTÔNIO ROSA TRINDADE EXPERIÊNCIAS DOCENTES SOBRE O USO DO LIVRO DIDÁTICO DE HISTÓRIA NA REDE MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS (SC). 2020 CARLOS EDUARDO DOS REIS UFSC
Resumo
A presente dissertação de mestrado (ProfHistória – UFSC) tem como objetivo analisar como os professores/as efetivos de História da Rede Pública Municipal de Florianópolis usam o livro didático de História – LDH. Foram enviados questionários online para os professores/as que participavam da formação continuada da rede de ensino, dos quais quatorze responderam, onde selecionamos cinco para a realização de entrevistas semiestruturadas (todos possuindo mestrado acadêmico em História), sendo eles/as: Victória Gambetta da Silva, César Augusto Jungblut, Joseane Zimmermann Vidal, Carlos Rogério Müller e Marcos Antônio da Silva (em ordem temporal das entrevistas). A seleção desses cinco professores/as de História deu-se pelos seguintes motivos: 1) ter respondido o questionário exploratório, 2) paridade de gênero, 3) experiência mínima de dez anos no magistério, 4) facilidade de contato, 5) disponibilidade de tempo para a entrevista, 6) proximidade geográfica. E tem como base as reflexões do professor Elison Paim (2005, 2006, 2012 e 2018), a partir do Fazer-se Professor, que parte das análises de Edward P. Thompson (1987) em A Formação da Classe Operária Inglesa, onde o seu fazer-se não ocorreu em um determinado momento, mas sim, em um processo construtivo e relacional, fruto das experiências de homens e mulheres. Ou seja, a partir desta lógica, os(as) professores(as) se fazem em um processo não exclusivamente ao período da academia, mas também em sua vida escolar, nas relações com demais professores de História e de outras disciplinas, não esquecendo dos próprios alunos e seus professores do presente e passado (desde quando eram alunos/as nos primeiros anos do ensino fundamental até a pós-graduação). A partir deste fazer-se professor(a), uso as experiências docentes enquanto uma ferramenta para analisar de que maneira estes professores(as) usam o livro didático.
Palavras-chave
Profhistória; Ensino de História, Experiências Docentes, Fazer-se Professor, Uso do livro Didático
Link
Dissertação
Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
JEFERSON LUIZ FREITAS DA DOXA AO LOGOS: PROBLEMATIZANDO O ENSINO DE HISTÓRIA E A EDUCAÇÃO PATRIMONIAL A PARTIR DA ESCOLA 2020 MÔNICA MARTINS DA SILVA UFSC
Resumo
Este trabalho foi construído através da problematização da antiga edificação da Escola de Educação Básica Professor Germano Timm, tombada como patrimônio cultural do município de Joinville-SC, em 2004, e que permaneceu abandonada entre 2006 e 2018. Desta perspectiva, apresentando-se uma proposta metodológica de ensino de História e educação patrimonial que considera os alunos e as alunas da Educação Básica como sujeitos no processo de ensino e aprendizagem mediado pelo professor, a escola é pensada como um espaço de elaboração do conhecimento histórico e como objeto de estudo a partir do conceito de patrimônio cultural. Propõese um trabalho pedagógico ancorado em processos inerentes ao ensino de História e à construção do pensamento histórico, como a apropriação conceitual, a contextualização do objeto de pesquisa, a análise de fontes históricas na sala de aula e a construção de narrativas históricas pelos estudantes. Este trabalho foi elaborado a partir de uma proposta inicial que resultou no desenvolvimento de um projeto piloto com estudantes do 3º Ano do Ensino Médio durante o ano letivo de 2018. Partindo da apresentação e reflexão destes processos, buscou-se reforçar a dimensão propositiva do Mestrado em Ensino de História a partir da elaboração de dois materiais didáticos: o diário do estudante e o caderno de diálogos com o professor, que, reconhecendo professores e estudantes como sujeitos, apresentam a proposta metodológica a ser desenvolvida a partir da problematização da
Palavras-chave
Profhistória; Ensino de História; Educação Patrimonial; Patrimônio Escolar; Fontes Históricas; Escola de Educação Básica Professor Germano Timm
Link
Dissertação