• facebook

Lista das dissertações dos alunos do ProfHistória



Limpar

Foram encontrados 220 registros

Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
GRACE KELLY FERREIRA FOLHETOS DE ACONTECIDO: LITERATURA DE CORDEL E SUA FUNÇÃO NO ENSINO DE HISTÓRIA 2018 AILTON JOSÉ MORELLI UEM
Resumo
O ensino de história num país como o Brasil se limitado apenas ao livro didático, que por mais que venha sofrendo mudanças e incorporando temáticas que abordam a diversidade, pode oferecer um conhecimento ainda parcial, limitado e, quiçá, homogeneizador. Por isso a importância do trabalho de pesquisa e de novos objetos para que se possa discutir cultura no ensino de história e a ideia de identidade e alteridades. Pensando nisso, é que se escolheu os folhetos de acontecido ou mais popularmente conhecido o cordel, para abordar diferentes consciências e a cultura brasileira no ensino de história no Município de Maringá no Estado do Paraná. Os folhetos de acontecido como fonte para ser analisada em toda sua potencialidade na pesquisa historiográfica e no ensino de história. A pesquisa foi feita partindo de uma discussão no primeiro capítulo do conceito de cultura e no segundo capítulo é abordado a historicidade do cordel no Brasil. No terceiro capítulo é demonstrado a coleta das ideias prévias de alunos do terceiro ano do Ensino Médio do Colégio Estadual Rodrigues Alves do Município de Maringá, coleta feita em 2017. Buscando saber desses alunos a consciência que já possuíam sobre cultura, cultura popular e erudita, cultura nordestina e o cordel. As respostas dos alunos foram categorizadas de acordo com a fundamentação de cultura e de cordel dos dois primeiros capítulos. No quarto capítulo foi discutido o cordel no ensino de história propriamente, trabalhos recentes com essa perspectiva, uma sugestão metodológica para o Ensino de História a partir da experiência da professora Ana Cristina Marinho e professor Helder Pinheiro, foi também enfatizado um cordel e um cordelista como exemplo. No quinto e último capítulo foi apresentado uma sugestão de percurso para a utilização do cordel no ensino de história partindo dessa experiência de pesquisa
Palavras-chave
Ensino de História; Cordel; Folhetos do Acontecido; Alteridade-Identidade; Consciência Histórica
Link
Dissertação
Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
ISABEL ULIANA O CEMITÉRIO MUNICIPAL DE MARINGÁ (PARANÁ) ENQUANTO ESPAÇO DE MEMÓRIA E SABERES HISTÓRICOS (1947 – 2017) 2018 VANIA FORTUNA SERAFIM UEM
Resumo
A dissertação tem como proposta analisar o Cemitério de Maringá (1947-2017) enquanto espaço memória e saberes históricos. Para tanto, no primeiro capítulo “O cemitério e a morte enquanto objetos de estudo da história” fizemos um levantamento de autores essenciais para o estudo da morte como Edgar Morin e Phillipe Ariès; dialogando em seguida com a bibliografia que apresenta, em um primeiro momento, a organização histórica dos cemitérios seculares no Brasil e em seguida atentando aos estudiosos que se debruçaram sobre estes enquanto objeto. No segundo capítulo “O Cemitério Municipal de Maringá: espaço de memória e saber” iniciamos a apresentação da legislação existente sobre o cemitério e informações obtidas por meio de pesquisas de campo no Cemitério Municipal de Maringá e junto ao Arquivo Histórico de Maringá. Por meio das informações obtidas, elencamos possíveis temas de estudo organizados em propostas de planos de aula, para a organização do plano de trabalho docente, de acordo com as indicações presentes nas Diretrizes Curriculares de História, no Paraná. No terceiro capítulo “Crenças, memórias e saberes históricos” apresentamos como um passeio pelo Cemitério Municipal de Maringá pode ser convidativo a perceber a diversidade religiosa da cidade. Apesar desta se estabelecer como uma cidade católica é possível encontrar práticas híbridas de umbanda, espiritismo, crenças orientais, dentre outras formas de religiosidade praticadas neste espaço. O produto final da pesquisa que buscou articular a possibilidade do uso de cemitérios ao ensino de História, é apresentado sob a forma de um mapa de visitação ao Cemitério Municipal de Maringá
Palavras-chave
Ensino de História; Crenças religiosas; Cemitério Municipal; Maringá.
Link
Dissertação
Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
LORENA MARQUES DAGOSTINBUCHTIK TEMPO, EVIDÊNCIA E HISTORICIDADE NO LIVRO DIDÁTICO E A APRENDIZAGEM HISTÓRICA 2018 AILTON JOSÉ MORELLI UEM
Resumo
Na prática diária, o ensino de História, muitas vezes, é entendido como algo estático e distante da realidade do aluno. Por isso, ensinar mais que conteúdos é um desafio para todos os docentes de História atualmente. Pretende-se neste trabalho compreender como estão dispostos os conceitos de tempo e evidência no livro didático, conceitos esses essenciais para a construção da aprendizagem científica sobre o passado humano. Neste estudo, priorizou-se o trabalho descritivo e qualitativo mediante análise das cinco coleções mais vendidas pelo Plano Nacional do Livro Didático – PNLD – de 2017, que contava com catorze coleções disponíveis à escolha dos professores de História da rede pública de ensino. O recorte foi estabelecido por corresponder a aproximadamente 76% de toda a vendagem do edital, que disponibilizou livros para a segunda etapa do ensino fundamental (6º ao 9º ano). Na análise das coleções, foram selecionadas para identificação as categorias temporais de simultaneidade, ordenação, sucessão, duração, continuidade/ruptura, passado/presente e cronologia. Sobre a evidência, foram identificadas e analisadas a forma como estão apresentadas nas coleções e como se cumpre sua função. A partir dos dois conceitos, refletiu-se a respeito do sentido histórico disposto nos materiais, bem como sobre sua relação com a realidade do aluno. Os resultados encontrados mostram a ausência de profundidade no tratamento do tempo e da evidência, apresentando muitos textos com conteúdos e o uso de evidências históricas como provas e não indícios. Nos resultados sobre a temporalidade, observou-se que as coleções apresentam de forma deficitária as categorias temporais investigadas. Por meio da análise, percebeu-se a necessidade de o professor saber identificar e superar as deficiências presentes nas coleções. Também se espera que as editoras concebam novos livros didáticos abordando de forma eficaz os conceitos apresentados, para, assim, dar ao professor novas possibilidades para cumprir o que é pedido pelos editais governamentais. Como referência para o ensino da disciplina, buscou-se escritos de Paulo Freire e Jörn Rüsen e de autores da área da Educação Histórica, como Peter Lee, Isabel Barca e Rosalyn Ashby. Para a concepção de evidência, foram aproveitados os trabalhos de E.P. Thompson e de Ana Catarina Simão. O conceito de tempo foi baseado nos escritos de Fernand Braudel e ReinhartKoselleck. Sobre a história do ensino de História e sobre o livro didático de História buscou-se os fundamentos em Eliane Mimesse Prado, KazumiMunakata e Luis Fernando Cerri. Como produto final, além desta dissertação, foram produzidas videoaulas para professores disponíveis na plataforma on-line de vídeos YouTube em um formato de minicurso. A proposta dos vídeos foi permitir que docentes da disciplina possam refletir sobre sua prática docente, entender as limitações das coleções didáticas e fomentar a escolha consciente das coleções didáticas disponibilizadas pelas editoras e pelo governo federal.
Palavras-chave
Ensino de História; Livro Didático; evidência; Tempo; Historicidade.
Link
Dissertação