• facebook

Lista das dissertações dos alunos do ProfHistória



Limpar

Foram encontrados 259 registros

Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
ALETÍCIA ROCHA DA SILVA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL NO ENSINO DE HISTÓRIA: A FEIRA LIVRE COMO ESPAÇO DE APRENDIZAGEM HISTÓRICA EM COLINAS DO TOCANTINS 2018 MARCOS EDILSON DE ARAÚJO CLEMENTE UFT
Resumo
Essa dissertação tem como tema a Educação Patrimonial no ensino de História como estratégia para viabilizar a aprendizagem histórica. Para analisar esta estratégia, o trabalho foi estruturado como uma pesquisa-ação e pautou-se em explorar o patrimônio cultural em um espaço de vivência, a Feira Livre Municipal de Colinas do Tocantins. Nesse sentido, elaboramos atividades de exploração da história, memória e identidade local guiados pelo método da educação patrimonial. Por lidar com sujeitos vivos e fontes imateriais os estudantes foram instrumentalizados a lidar com as fontes orais, produzidas por meio da realização de entrevistas, e depois a analisá-las para que assim pudessem entender que a história do lugar em que vivem é possível de ser conhecida não só na sala de aula, mas também em espaços não-formais de aprendizagem, a exemplo dos ambientes de convivência social da comunidade e com as suas manifestações culturais. Foram aplicados formulários com perguntas sobre os trabalhos realizados no percurso da pesquisa-ação para tentarmos constatar como os estudantes aprenderam com a educação patrimonial no ensino de História e se passaram a percebê-lo como uma ferramenta que os levem a compreender sua própria historicidade e a importância dos locais de memória, do conhecimento e valorização do patrimônio histórico cultural da cidade. Também como parte desta dissertação de mestrado e produto didático-pedagógico elaboramos um blog em que sugerimos atividades de educação patrimonial aliadas ao ensino de História
Palavras-chave
ProfHistoria, Ensino de História, Ensino e aprendizagem em espaços não-formais, Educação Patrimonial, Memória e identidade, História Local e Regional
Link
Dissertaçao
Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
EDILSON SILVA DOS SANTOS AS REPRESENTAÇÕES DA CABANAGEM NO LIVRO DIDÁTICO- USO DA IMAGÉTICA NO ENSINO DE HISTÓRIA 2018 DAGMAR MANIERI UFT
Resumo
O presente trabalho realiza um estudo sobre a forma de apreensão do movimento histórico denominado “Cabanagem” em alunos da Escola Municipal Terezinha de Jesus. Para tal intento, constituímos a pesquisa em algumas etapas. Primeiro, realizamos um estudo da constituição da memória da Cabanagem; em uma segunda etapa, procuramos apreender a figura do cabano no livro didático das Coleções Projeto Araribá, Historiar, História Sociedade e Cidadania e principalmente o Projeto Mosaico da Editora Scipione 8° ano de História. Na última etapa, realizamos uma oficina com o objetivo de coletar os dados relevantes para a efetivação do capítulo propositivo. A título de hipótese, percebe-se que a concepção do movimento da Cabanagem é plural, uma vez que ao longo deste trabalho foi construída a ideia a qual a Cabanagem é um movimento múltiplo e heterogêneo, logo ele assumiria mais de um significado. O objetivo majoritário do movimento cabano era a luta contra todo tipo de espoliação do homem amazônico, bem como os desmandos do governo regencial.
Palavras-chave
ProfHistoria, Ensino de História, Cabanagem, Representação, Livro Didático de História e Período Regencial no Brasil
Link
Dissertação
Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
ELKA REGINA RODRIGUES VALADARES SABERES EM MOVIMENTO- APRENDENDO E ENSINANDO A HISTÓRIA DA ÁFRICA NO ENSINO MÉDIO 2018 DERNIVAL VENÂNCIO RAMOS JÚNIOR UFT
Resumo
A presente pesquisa, desenvolvida no âmbito do Programa de Mestrado Profissional ProfHistória, insere-se na linha de pesquisa saberes históricos no espaço escolar, tem como tema central conhecer os saberes dos discentes acerca da História da África. A partir das representações presentes no imaginário dos estudantes, foram desenvolvidas estratégias metodológicas baseadas na pesquisa-ação para identificar os saberes. A pesquisa foi desenvolvida em Colinas do Tocantins com estudantes da segunda série do ensino médio e utilizou aportes teóricos de campos diversos. Os participantes pesquisaram, produziram material pedagógico com a finalidade de construir e desconstruir saberes sobre a história da África, relacionando-os. Os resultados dão conta de que os saberes construídos por estudantes em diferentes espaços não destoam das visões de diferentes grupos; conforme pesquisas recentes, mas vinculadas a uma perspectiva positiva de descolonização dos saberes, na direção de se produzir uma educação antirracista, multicultural, é possível desenhar um cenário novo na formação de identidades. Além da metodologia aplicada aos estudantes, investigou-se a trajetória de lutas dos movimentos sociais, especialmente os Movimentos Negros pela inclusão da história e cultura africana e afro-brasileira e indígena nos currículos escolares. Esta se tornou componente curricular obrigatório com a Lei 10.639/03 que foi alterada em 2008 pela Lei 11.645. A Lei e sua legislação correlata são parte de um conjunto de políticas públicas adotadas no Brasil a partir da década de 1990, em atendimento a reivindicações dos Movimentos Sociais para promover uma educação antirracista e pluricultural garantindo que grupos tradicionalmente excluídos dos espaços escolares, tenham sua história e cultura valorizados. Os resultados podem contribuir para uma reflexão acerca do ensino dessa temática bem como com a formação continuada de professores.
Palavras-chave
ProfHistoria, Ensino de História,Saberes e Práticas no Espaço Escolar eLei 11.645/08.
Link
Dissertação