• Quem é Quem - Profhistória
  • Facebook
  • Youtube

Lista das dissertações dos alunos do ProfHistória



Limpar

Foram encontrados 408 registros

Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
ELIETE RIBEIRO ARAÚJO USOS DE MEMES DE INTERNET NA APRENDIZAGEM HISTÓRICA: UMA PROPOSTA DE EDUCAÇÃO ÉTNICO-RACIAL NO CENTRO DE ENSINO FORTUNATO MOREIRA NETO, EM PORTO FRANCO-MA 2020 BRAZ BATISTA VAS UFT
Resumo
Essa dissertação tem como tema os usos de memes de internet em atividades pedagógicas para a construção da aprendizagem histórica pautada na educação étnico-racial. Exercícios de leituras e produção de memes mediaram experiências de mobilização de conhecimentos históricos dos estudantes, ao revisitarem conteúdos históricos referentes à escravidão africana no Brasil, com objetivo de promover educação étnico-racial a partir da problematização do meme nego como representação social do racismo contra afrodescendentes em 2019. Foram observadas as mediações dessas atividades numa turma de 2º ano do Ensino médio do Centro de Ensino Fortunato Moreira Neto, em Porto Franco- MA e as formas de estudantes estabeleceram relações entre o tempo presente e o passado histórico, utilizando a pesquisa-ação como metodologia principal e fundamentos teórico-metodológicos relacionados ao campo da Educação histórica em que métodos instrumentais como a produção de memes e de relatos escritos possibilitaram formas de acessar ideias históricas de sujeitos em situação escolar, realizar intervenções pedagógicas e avaliar os seus resultados.metodologia utilizada.
Palavras-chave
ProfHistoria, Ensino de História, Aprendizagem Histórica, Educação étnico-racial, Memes de internet.
Link
DISSERTAÇÃO
Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
LUCIANA MARTINEZ DE OLIVEIRA COSTA A PRESENÇA DE POVOS INDÍGENAS CHIQUITANO, BORORO, GUATÓ E GUANÁ EM VILA MARIA DO PARAGUAI E SÃO LUIZ DE CÁCERES (1778-1874): UMA ABORDAGEM DE TEMÁTICA INDÍGENA NA EDUCAÇÃO BÁSICA. 2020 MARLI AUXILIADORA DE ALMEIDA UNEMAT
Resumo
A presente dissertação de Mestrado Profissional em Ensino de História - ProfHistória, estuda a presença dos povos indígenas Chiquitano, Bororo, Guató e Guaná durante o povoamento de Vila Maria do Paraguai, em 1778, até o momento de sua elevação como cidade para São Luiz de Cáceres em 1874, (atual Cáceres/MT). Neste estudo objetivou-se a identificar a participação desses povos indígenas no cotidiano de Vila Maria e São Luiz de Cáceres, abordando relações históricas e culturais do contato entre aqueles povos indígenas e não indígenas durante e depois da colonização portuguesa. Desse estudo, desenvolveu-se um Site Didático para apoiar professores de História e da Educação Básica para abordarem as temáticas indígenas e a implementação do Decreto de Lei n.º 11.645/08. O nosso referencial teórico-metodológico, trata-se de uma pesquisa bibliográfica baseada em dissertações e teses acadêmicas; relatos de viagens e pesquisas bibliográficas que abordaram sobre os referidos povos indígenas em Mato Grosso durante os séculos XVII e XIX, ao que analisamos de modo particular a presença desses povos indígenas em Vila Maria e São Luiz de Cáceres, em conexão com as discussões do campo da História Indígena, Ensino de História e História Local. Consideramos que esta produção acrescenta aos estudos, da temática indígena por meio de fragmentos da história e culturas desses povos num contexto de colonização. Além de contribuir com o produto pedagógico digital no fazer pedagógico do professor, possibilitando novos olhares sobre os remanescentes indígenas que habitam a cidade de Cáceres e regiões circunvizinhas
Palavras-chave
ProfHistória, Temática Indígena, Mato Grosso, Lei n.º 11.645/08, Site Didático
Link
DISSERTAÇÃO
Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
MACDONE RAMOS NEVES HISTÓRIA E CULTURA INDÍGENA NOS LIVROS DIDÁTICOS A PARTIR DA LEI N0 11.645/08 2020 OSVALDO MARIOTTO CEREZER UNEMAT
Resumo
Esta dissertação, desenvolvida no Mestrado Profissional em Ensino de História – PROFHISTÓRIA, da Universidade do Estado de Mato Grosso/UNEMAT, apresenta uma análise sobre a representação dos indígenas nos livros didáticos de História após a implementação da Lei no 11.645/08. Para o estudo, analisamos a obra “Araribá Mais História”, organizado pela editora Ana Claudia Fernandes, Editora Moderna (2018), e “História, Sociedade & Cidadania”, de autoria de Alfredo Boulos Júnior, Editora FTD (2015). Tais obras são produzidas e direcionadas para as turmas do 6o ao 9o ano, das séries finais do Ensino Fundamental. A dissertação objetivou demonstrar e analisar como essas representações vem sendo construídas nos livros didáticos, após a Lei no 11.645/08. Pelo viés da História Cultural, a dissertação fundamenta-se nos estudos de Roger Chartier (1990, 2002). Essa dissertação utilizou-se da metodologia de Pesquisa Bibliográfica para o empreendimento das análises. Compreendemos, ao final dessa dissertação e a partir das análises empreendidas nos livros didáticos das duas coletâneas que selecionamos, que as mesmas apresentam propostas de ensino de história e cultura indígena que podem desconstruir estereótipos e representações estabilizadas que levam a perpetuação de estereótipos. Entretanto, observamos também que muitas imagens e textos, carregados de representações podem ser exploradas por professores e alunos para além das atividades propostas. Como produto dessa dissertação, produzimos também um “Roteiro Didático” com o objetivo de apresentar aos professores de Historia algumas sugestões de perguntas, questionamentos, observações e análises de conteúdos e atividades dos livros didáticos que podem auxiliar na compreensão das representações e na desconstrução de estereótipos sobre os povos indígenas.
Palavras-chave
PROFHISTÓRIA. Ensino de História. Lei no 11.645/08. Representação. Livros didáticos
Link
DISSERTAÇÃO