• Quem é Quem - Profhistória
  • Facebook
  • Youtube

Lista das dissertações dos alunos do ProfHistória



Limpar

Foram encontrados 408 registros

Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
LITTBARSKI DE CASTRO ALMEIDA A PERIFERIA URBANA COMO LUGAR DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL: O ENSINO DE HISTÓRIA NO GRANDE BOM JARDIM 2020 MAGNO FRANCISCO DE JESUS SANTOS UFRN
Resumo
Esta dissertação é uma produção de reflexões e práticas acerca das potencialidades de se utilizar o espaço urbano da periferia como lugar da construção de conhecimento histórico, com foco no território do Grande Bom Jardim, em Fortaleza. O trabalho se inseriu na linha de pesquisa Saberes Históricos em Diferentes Espaços de Memória e tem como questão central pensar três bens culturais locais como espaços da educação patrimonial dentro do ensino de História. Essas referências culturais são: a Praça de Santa Cecília, o Centro Cultural do Bom Jardim e o Ponto de Memória. Foram utilizados como fontes questionários, relatórios e cadernos de campo produzidos pelos estudantes ao longo da pesquisa, bem como jornais, relatórios feitos por órgãos públicos e organizações da sociedade civil e fontes orais. A partir do cruzamento desses diferentes vestígios e através da metodologia da educação patrimonial, também foi produzido um guia de educação patrimonial voltado para os três lugares mencionados acima, que pretende apresentar aos docentes de história um caminho na construção de propostas de aulas passeio pelos demais territórios periféricos urbanos do Brasil. Portanto, o objeto de estudo dessa pesquisa são os bens culturais do bairro acima indicados e a forma como podem ensejar a construção de conhecimento histórico a partir de seu reconhecimento enquanto patrimônio local. O trabalho tem como objetivo geral compreender a educação patrimonial como metodologia que pode ser aplicada no ensino de história em periferias urbanas, já como objetivos específicos: entender historicamente a noção de cidadania na educação básica, ampliar o entendimento do que é patrimônio cultural e apresentar aos docentes de história uma possibilidade de ensino e aprendizagem nessa área do conhecimento a partir do lugar de vivência dos alunos.
Palavras-chave
• Palavras-chave (devem sProfhistória; Grande Bom Jardim. Periferia. Ensino de História. Educação Patrimonial.
Link
DISSERTAÇÃO
Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
TIAGO CERQUEIRA SANTOS NÃO HÁ CONFLITO SE FOR FEITA RELEITURA”: A EXPERIÊNCIA ESCOLAR DOS POTIGUARA DO CATU NO CONTEXTO DE CONVIVÊNCIA INTERCULTURAL NUMA ESCOLA NÃO INDÍGENA (GOIANINHA/RN, 2015-2019) 2020 LÍGIO JOSÉ DE OLIVEIRA MAIA UFRN
Resumo
Vários dispositivos legais apontam como principal objetivo da educação a formação cidadã. Cidadania, nesse âmbito, é definida de modo ativo e participativo, sendo a escola um vetor para o desenvolvimento de um instrumental de valores, atitudes e conhecimentos necessários para o seu exercício pleno e crítico. Assumida essa postura, complexas situações que se apresentam no cotidiano escolar passam a ser inseridas como parte das estratégias didáticas e da construção do conhecimento. Nesse sentido, nosso trabalho trata das possibilidades e problemáticas pertinentes ao ensino de História Indígena, tomando como experiência concreta a situação de convivência intercultural entre alunos indígenas, os Potiguara do Catu, e alunos não indígenas na Escola Municipal Dr. Hélio Mamede de Freitas Galvão (EMHG) em Goianinha, no Rio Grande do Norte. Partimos do entendimento de que a perspectiva essencialista, tradicionalmente adotada ao se abordar a temática, resulta numa prática de ensino que contribui para invisibilizar questões contemporâneas nesse campo, como por exemplo, a mobilização de grupos étnicos em busca de reconhecimento legal e da conquista de direitos. Assim, como resultado dessas reflexões, desenvolvemos como produto um documentário que pretende contribuir para a introdução dessa temática no espaço escolar, a partir do que nos contam os próprios indígenas sobre sua experiência escolar, acreditando que, na escuta do outro, podemos aproveitar positivamente a situação de contato intercultural representado pela escola, tendo como horizonte o paradigma da interculturalidade crítica.
Palavras-chave
Profhistória; Potiguara do Catu. Ensino de História Indígena. Experiência escolar. Indianidade. Interculturalidade crítica
Link
DISSERTAÇÃO
Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
BARBARA BELANDA BENEVIDES DA SILVA O ENSINO DE HISTÓRIA PARA TURMAS DE SEGUNDO CICLO EM NOVA OLÍMPIA – MATO GROSSO (1998 – 2018) 2020 REGIANE CRISTINA CUSTÓDIO UNEMAT
Resumo
Esta dissertação de mestrado foi produzida no âmbito do Programa de Mestrado Profissional de Ensino de História, da Universidade do Estado de Mato Grosso e tem sua motivação na minha atuação como professora na Escola Municipal de Educação Básica Deputado Renê Barbour. Tem por objetivo geral compreender como o ensino de história vem ocorrendo na educação básica no município de Nova Olímpia, Mato Grosso. E como objetivos específicos, conhecer o modo como os professores de História de Nova Olímpia falam sobre o ensino de história e sua prática docente, o que dizem sobre a profissão de professor, e principalmente, de professor de História no século XXI. A pesquisa foi realizada sobre o ensino de história na educação básica em Nova Olímpia, Mato Grosso, considerando a importância de se pensar esse ensino no Segundo Ciclo (1ª Fase, 2ª Fase e 3ª Fase) uma vez que a compreensão da História, do ser e se ver como sujeito histórico, começa antes da criança ingressar nos últimos anos de escolarização do Ensino Fundamental ou Médio. A metodologia utilizada foi a análise de documentos encontrados nos arquivos escolares, mantidos nas unidades escolares, tais como: diários escolares, planejamentos escolares, grades curriculares, revistas, dentre outros. Foram realizadas entrevistas com professores da educação básica que atuam na rede municipal e estadual, com turmas do 2º Ciclo e para todos os entrevistados foi solicitado a assinatura do Termo de Consentimento Informado e Esclarecido, com informações sobre a pesquisa. O recorte temporal (1998 a 2018) teve como critério tomar o período compreendido entre 1998- 2018, período posterior à aprovação da Lei de Diretrizes e Base da Educação Brasileira, a LDB 9.394/96 e a publicação dos Parâmetros Curriculares Nacionais. No âmbito da estrutura estadual de educação, destacamos a opção pela Escola Ciclada, implantada no ano de 1999, já em âmbito local ressaltamos a ampliação da oferta da escolarização básica na rede municipal, com a criação de três das atuais quatro unidades de Ensino Fundamental existentes, atualmente, no município. O período pesquisado está inscrito na história do tempo presente que se preocupa com temáticas de um tempo cronologicamente próximo da atualidade. Foram fundamentais para compreendermos a história do ensino de História no Brasil, currículo de história e livro didático, a literatura já produzida pelas pesquisadoras Bittencourt (2009) e Fonseca (2011). A História Oral constituiu-se como metodologia que estabeleceu e orientou os procedimentos de trabalho na realização das entrevistas com os professores que concordaram em participar da pesquisa. Esta pesquisa se inscreve no campo do Ensino de História e lança mão, na realização das análises, do constructo teórico da História Cultural.
Palavras-chave
Educação. Ensino de História. História local. Segundo Ciclo. Profhistória
Link
DISSERTAÇÃO