• facebook

Lista das dissertações dos alunos do ProfHistória



Limpar

Foram encontrados 259 registros

Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
HELYOM VIANA TELES EMPATIA HISTÓRICA E JOGOS DIGITAIS: UMA PROPOSTA PARA O ENSINO DE HISTÓRIA 2018 CRISTIANA FERREIRA LYRIO XIMENES UNEB
Resumo
Este trabalho tem como objetivos discutir o potencial dos jogos digitais enquanto instância mediadora para o ensino de História a partir do referencial teórico da educação histórica, investigar a relação entre jogos digitais e empatia histórica e compreender como o recurso à empatia histórica poderia contribuir para o ensino de História. O trabalho concluiu que os videogames podem ser utilizados para promover cada uma das operações necessárias à empatia histórica. Os processos de identificação com avatar podem estimular o desenvolvimento de padrões comportamentais e juízos morais nos estudantes. Com base na discussão teórica sobre Jogos digitais, educação histórica e empatia histórica, organizei uma experiência de ensino aplicada junto a uma turma do terceiro ano de Agroecologia do Instituto Federal Baiano - Campus Serrinha, na qual atuava como docente da disciplina História, consistindo em uma pesquisa participante engajada, ou um processo de investigação-ação, com o objetivo de aprimorar minha prática profissional, A experiência teve como resultado positivo o aumento substancial da motivação e do interesse dos estudantes em relação ao curso. Os resultados do processo de investigação-ação possibilitaram o desenvolvimento de modelo de avaliação da empatia histórica em jogos digitais baseado no conceito bidimensional de empatia para avaliar as possibilidades de aprendizagem que podem ser construídas no sentido de promover as operações necessárias à empatia histórica.
Palavras-chave
Ensino de História, Educação Histórica; Jogos Digitais; Empatia Histórica.
Link
Dissertação
Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
ÁTILA SILVA SENA GUIMARÃES CANTO NEGRO:AS MÚSICAS DO BLOCO AFRO ILÊ AIYÊ PARA INCLUSÃO DA HISTÓRIA E CULTURA AFRICANA NO CURRÍCULO ESCOLAR 2018 WILSON ROBERTO DE MATTOS UNEB
Resumo
A música, que sempre fez parte do cotidiano de quase todas as culturas, é uma fonte preciosa de informações sobre os seres humanos e suas relações sociais, através das quais podemos perceber aspectos subjetivos de quem interage com ela, assim como as representações simbólicas (re)produzidas na sociedade. Logo, é uma construção social e histórica que serve para comunicação e para transmissão de conhecimentos, técnicas, valores e crença de um povo. Baseado neste aspecto, esta dissertação tem como objetivo analisar as músicas do Ilê Aiyê (1975-2014), buscando ressaltar a representação de África disseminada pelas letras de suas músicas, visando a possibilidade de inseri-la como centro gerador dos conteúdos sobre a História e a Cultura afro-brasileiras em colaboração a aplicabilidade da lei 10.639/03. Para isso, foram catalogadas 88 músicas do Ilê Aiyê, delas selecionamos 19 que falam sobre África como fonte para desenvolvimento da pesquisa. Este trabalho tem como prioridade além de prescrever uma sequência didática, aplicá-la em sala de aula. Para isso, utilizaremos da metodologia de aula-oficina difundida por Isabel Barca com os alunos da Escola Pirajá da Silva. O programa de Mestrado em rede Profhistória orienta que se faça um produto como disseminador do conhecimento. Para esse fim, foi construído um portal digital denominado de cantonadiaspora.wixsite.com/cantonegro. Este recurso digital estará disponível em meio eletrônico para os alunos e professores da rede básica de ensino, para que sirva de instrumento d-idático para inclusão da história negra no ensino de História. PALAVRAS-CHAVE:Ensino de História; Relações Etnicorraciais; Educação antirracista; Música; Ilê Aiyê
Palavras-chave
Ensino de História; Relações Etnicorraciais; Educação antirracista; Música; Ilê Aiyê
Link

Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
THIAGO CERQUEIRA DOS SANTOS “UMA HISTÓRIA DO ENSINO DE HISTÓRIA DO CURSO NORMAL DO RIO DE JANEIRO: DA ESCOLA NORMAL DA CORTE À ESCOLA NORMAL CARMELA DUTRA 2018 CINTHIA MONTEIRO DE ARAÚJO UFRJ
Resumo
Essa dissertação investiga o ensino de História para o curso de formação de professores, modalidade normal, da Escola Normal da Corte até a Escola Normal Carmela Dutra. Através da análise de conteúdo de três manuais de metodologia do ensino de História (dois livros de Jonathas Serrano e um de Dinara Leite) e das provas e exercícios encontrados no Centro de Memória da Educação Brasileira (CMEB), além de notícias vinculadas pela imprensa jornalística da cidade do Rio de Janeiro, foi possível traçar uma trajetória da disciplina nos cursos normais do Rio de Janeiro. O referencial teórico escolhido foi voltado para as seguintes temáticas: código disciplinar (FERNÁNDEZ CUESTA, 1998) e currículo (LOPES, 2011). Essa pesquisa objetiva traçar as peculiaridades referentes à preocupação pedagógica na formação de professores primários em nível secundário, no que se refere ao ensino de Historia.Além disso, também visa colaborar na realidade escolar atual através de oficinas e/ou como material de consulta e apoio em sala de aula.
Palavras-chave
Ensino de História, Curso Normal, Instituto de Educação, Escola Normal Carmela Dutra, Currículo
Link
Dissertação