• Quem é Quem - Profhistória
  • Facebook
  • Youtube

Lista das dissertações dos alunos do ProfHistória



Limpar

Foram encontrados 408 registros

Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
RAFAELA MOLINA DE PAULA PELOS CAMINHOS DE OBLIVION: REPRESENTAÇÃO E RESISTÊNCIA DA CULTURA CAIPIRA E O ENSINO DE HISTÓRIA. 2019 ANA LUCIA LANA NEMI UNIFESP
Resumo
O presente trabalho é um estudo da História local como abordagem metodológica no ensino de história. Partindo da necessidade pedagógica vivenciada na escola de Ensino Médio do interior do Estado de São Paulo, especificamente, do município de Areias, região da Serra da Bocaina, no Vale do Paraíba paulista. A temática escolhida para ser analisada e desenvolvida em sala de aula, foi a cultura caipira. De acordo com a concepção teórico- metodológica adotada aqui, é importante se trabalhar com projetos de História local no ensino de história, como estratégia alternativa ao currículo prescrito do Estado de São Paulo. A cultura caipira foi escolhida como tema, pois, trata-se de um assunto presente no imaginário e nas representações cotidianas dos vale paraibanos, especialmente, dos que vivem na região rural denominada Vale Histórico. Região onde a cultura caipira se preserva e resiste, em contraste com o avanço da produção industrial, do capital e da globalização. Vamos perceber com esse trabalho que as várias temporalidades locais e culturais se sobrepõem, e preservam as identidades culturais e locais. Estudar a antiga cidade literária de Monteiro Lobato, Oblivion (Areias), a cidade do Jéca Tatú, me fez uma professora-pesquisadora, afinal, propus trabalhar com a cultura caipira local com meus alunos do Ensino Médio, mas, diante da carência de pesquisas e informações sobre o assunto, tive a necessidade de me debruçar na história local e inserir meus alunos nessas investigações. Essa prática pedagógica transformou o ensino de história em algo mais instigante, prazeroso, vivo e próximo da realidade regional e cultural dos alunos. Aproximou as habilidades e conteúdos prescritos pelos currículos à realidade vivida pelo alunado.
Palavras-chave
História Local; Ensino de História; Currículo; Cultura Caipira; ProfHistória.
Link
Dissertação
Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
RUI LEON AENLHE CORRÊA JUNIOR A HISTÓRIA DA ÁFRICA E DOS AFRODESCENDENTES VAI À ESCOLA: A LEI 10.639/2003 E OS SABERES DOCENTES 2019 ELAINE LOURENÇO UNIFESP
Resumo
A partir da entrevista de três professoras e dois professores de História da Rede Municipal de Ensino da Cidade de São Paulo, este trabalho busca compreender de que maneira o ensino de História da África e dos afrodescendentes vem sendo ensinado, à medida que, desde 2003, temos uma Lei (10.639/2003) que passa a obrigar o ensino da temática em questão. Neste sentido, apoiamo-nos teoricamente nas elaborações de Maurice Tardif, no que diz respeito ao conceito de saber docente, e nas elaborações de Ivor Goodson (1995 e 1992), a respeito da importância da trajetória de vida do professor. Ainda, valemo-nos das discussões a respeito do ciclo de vida profissional do professor apresentado por Huberman (2000). Privilegiaram-se os professores que já trabalharam ou trabalham com a temática proposta na Lei, bem como fica este trabalho imbuído de considerar a trajetória de vida dos professores e o momento de suas carreiras. Em vista da importância em investigar como o professor ministra suas aulas, buscamos professores e professoras em pontos distintos de sua carreira. Tentou-se, também, compreender o que os levou a escolherem ser professores de História, no sentido de compreender suas motivações, inspirações e até mesmo frustrações, para analisar como podemos articular história de vida, saberes docentes e saberes experienciais. Assim sendo, procuramos, também, entrevistar professores que haviam se formado antes ou depois da Lei, acrescentando professores formados em universidades públicas e privadas, no sentido de pensar como sua formação inicial influenciou ou influencia no trabalho. Por fim, valemo-nos das metodologias da História oral para nos permitir olhar além da primeira camada do relato dos professores.
Palavras-chave
Ensino de História; História da África; História Oral; Saber docente; História afro-brasileira; ProfHistória.
Link
Dissertação
Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
SUZANE JARDIM MALANGA QUILOMBOS E QUILOMBAGEM NO ENSINO DE HISTÓRIA: ESTUDO SOBRE A CONTRIBUIÇÃO PARADIDÁTICA DE CLÓVIS MOURA. 2019 CLEBER SANTOS VIEIRA UNIFESP
Resumo
O objetivo desta pesquisa é discutir algumas possibilidades de inserção das temáticas relativas aos quilombos, como principal forma de resistência à escravidão, no ensino de história. Partimos das contribuições de Clóvis Moura presentes em sua obra de referência, o livro Rebeliões da Senzala: quilombos, insurreições, guerrilhas, e em duas obras paradidáticas do autor publicadas entre os anos de 1987 e 1993: os livros Quilombos – resistência ao escravismo e História do negro brasileiro. Estes últimos foram publicados em um contexto no 11 qual o movimento negro vem à público reivindicar nova leitura sobre o passado escravista brasileiro ao mesmo tempo em que o mercado de livros paradidáticos atinge seu ápice. Deste modo, o intuito da pesquisa é analisar as ações do movimento negro no contexto das décadas de 1970 e 1980, à luz das contribuições de Nilma Lino Gomes, e seus impactos no campo editorial, historiográfico e do ensino de história. Para a análise das fontes, recorremos às contribuições de Norman Fairclough e da Análise Crítica do Discurso de modo a compreender de que maneira o discurso presente em Rebeliões da Senzala ecoa nos livros paradidáticos. Por fim, as discussões levantadas ao longo dos primeiro e segundo capítulos são articuladas ao ensino de história, levantando algumas possibilidades de trabalho para o ensino da história dos quilombos na ótica da valorização da história da população afro-brasileira e do combate ao racismo.
Palavras-chave
Ensino de História; Quilombos; Quilombagem; Clóvis Moura; Antirracismo; Movimento negro; ProfHistória
Link
Dissertação