• Quem é Quem - Profhistória
  • Facebook
  • Youtube

Lista das dissertações dos alunos do ProfHistória



Limpar

Foram encontrados 408 registros

Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
LUIZ CALOS RODRIGUES DA SILVA A EDUCAÇÃO PATRIMONIAL COMO ESTRATÉGIA DE ENSINO DE HISTÓRIA NO CENTRO DE ENSINO ARLINDO FERREIRA DE LUCENA, EM BARRA DO CORDA - MARANHÃO ANO DA DEFESA: 2021 2021 MARCOS EDILSON DE ARAÚJO CLEMENTE UFT
Resumo
Esta pesquisa trata dos usos da Educação Patrimonial como estratégia didático-metodológica de Ensino de História Local. Para viabilizar, utilizaremos para estudar esta estratégia a exploração do patrimônio cultural do espaço de vivência, o Mercado Público José Vieira Nepomuceno de Barra do Corda/Maranhão, com os estudantes da turma do segundo ano A do Ensino Médio do Centro de Ensino Arlindo Ferreira de Lucena da cidade de Barra do Corda/MA. Nesse sentido, o objetivo do trabalho é analisar as contribuições que a Educação Patrimonial como estratégia de ensino pode oferecer ao processo de aprendizagem histórica dos estudantes; bem como refletir acerca da importância do conhecimento histórico escolar para o desenvolvimento da cidadania e do pensamento crítico estudantil. A metodologia desta pesquisa, que se insere na âmbito qualitativo, está embasada nos princípios da Pesquisa-ação, em conformidade com a perspectiva de Michel Thiollent (2007). Desse modo, buscamos fundamentar os estudantes na utilização de algumas técnicas e métodos da Educação Patrimonial para a construção do conhecimento histórico escolar (SCHMIDT; GARCIA, 2003) acerca da memória e identidade local. Para dialogar com os sujeitos vivos e as fontes imateriais foram utilizadas as fontes orais, produzidas por meio da realização de entrevistas e posterior análise. Ao mobilizar os conceitos de Patrimônio Cultural Histórico, Educação Patrimonial, Ensino de História Local, Memória, Identidade e Aprendizagem Histórica, a partir das discussões teóricas dos autores do campo do Ensino de História: Schmidt (2003), Garcia (2003), Bittencourt (2017), Cerri (2001), Rüsen (2011, entre outros), objetivamos compreender os problemas práticos e os fenômenos históricos surgidos da realidade investigada junto aos estudantes do segundo A – Ensino Médio – do Centro de Ensino Arlindo Ferreira de Lucena, no que diz respeito à natureza desta pesquisa, que é criar condições para que os estudantes percebam sua própria historicidade e a importância dos locais de memória, do conhecimento e valorização do patrimônio histórico cultural da cidade. Por meio da observação crítica dos dados e do uso desses aportes teóricos e metodológicos, os resultados identificados dão-nos segurança para concluir que a Metodologia da Educação Patrimonial, como estratégia didático-metodológica de Ensino de História Local, possibilita o desenvolvimento da aprendizagem histórica dos estudantes, a exemplo dos ambientes de convivência social da comunidade e com as manifestações culturais. Como produto didático-pedagógico dessa dissertação produzimos uma cartilha paradidática disponibilizada na forma digital e impressa na qual sugerimos um percurso metodológico, ancorado na História Local e Regional a partir da Metodologia da Educação Patrimonial.
Palavras-chave
ProfHistoria, Ensino de História, Educação Patrimonial; História Local e Regional; Saberes e Práticas no Espaço Escolar.
Link
Dissertação
Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
CARLOS JOSÉ DE SERPA VELLOSO TRABALHADOR OU MALANDRO?: USANDO O PERSONAGEM ZÉ CARIOCA PARA ENTENDER A CONSTRUÇÃO DO TRABALHISMO NO ESTADO NOVO 2021 FLÁVIO LIMONCIC UNIRIO
Resumo
Esta dissertação defende a possibilidade da utilização do personagem Zé Carioca para compreender as bases sobre as quais foram elaboradas a retórica e as práticas trabalhistas durante o Estado Novo (1937-45) no Brasil. Nesse sentido, foram produzidas histórias em quadrinhos com este personagem, destacando duas de suas principais características, a malandragem e a total aversão ao trabalho, de modo a estabelecer um contraponto ao modelo do trabalhador orgulhoso defendido pelo regime autoritário de Vargas. A partir de tal oposição seria possível estabelecer, numa turma de 9o ano do ensino fundamental, situações didáticas que possam ajudar os alunos a construírem o conceito de trabalhismo e aplicá-lo na análise de determinados contextos históricos. A opção de elaborar um material pedagógico no formato de histórias em quadrinhos mobiliza a integração de dois códigos de linguagem: visual e textual. Tal interação resulta na construção de uma narrativa que permite apresentar conceitos e conteúdos com formato e linguagens mais acessíveis mostrando as potencialidades de utilizar este tipo de material como uma fonte importante para o ensino e a aprendizagem da História.
Palavras-chave
Profhistória, Ensino de História,Trabalhismo; Zé Carioca; Histórias em quadrinhos; Ensino de História
Link
Dissertação
Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
CARLOS TELES DE MENEZES JUNIOR TEM MÚSICA NA AULA DE HISTÓRIA: UM REPOSITÓRIO MUSICAL PARA O ENSINO DE HISTÓRIA DA ÁFRICA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA. 2021 MARIANA DE AGUIAR FERREIRA MUAZE UNIRIO
Resumo
A presente dissertação de Mestrado Profissional em Ensino de História pretende apresentar uma proposta de sistematização interdisciplinar para as aulas de História empregando a música como fonte inicial de análise para reflexão acerca da História da África e Cultura afro-brasileira através de um produto didático na forma de repositório musical virtual, apresentando sugestões para o seu uso na forma de oficina-aula intitulado “Tem Música na Aula de História”. A música “Madagascar Olodum” do bloco afro Olodum foi selecionada para ser a atividade inicial por conter elementos da história africana e do movimento social afrodescendente com base no pensamento da diáspora negra.
Palavras-chave
Profhistória, Ensino de História, música, diáspora, cultura negra, ensino de História
Link
Dissertação