• facebook

Lista das dissertações dos alunos do ProfHistória



Limpar

Foram encontrados 220 registros

Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
ELTON FRIAS ZANONI GAMIFICAÇÃO, APRENDIZAGEM E ENSINO DE HISTÓRIA: CONSTRUÇÃO DE ESTRATÉGIAS DIDÁTICAS COM FERRAMENTAS ONLINE 2016 REINALDO LINDOLFO LOHN UDESC
Resumo
Este trabalho busca compreender e propor o uso de ferramentas online no ensino de História, particularmente no Ensino Médio, com o intuito de obter engajamento dos alunos e potencializar a aprendizagem. As propostas de trabalho apresentadas foram idealizadas em função dos interesses das ciências humanas, embora possam ser aplicadas, com adaptações, a diversas áreas do conhecimento. Na construção desta reflexão, partiu-se da vivência no meio escolar e dos problemas advindos da abordagem de conteúdos que percorrem noções de política e cidadania em sala de aula. Nesse sentido, a história do tempo presente, enquanto campo de estudos, apresenta-se como suporte. A proposta centra-se, em termos de estratégia didática, na adoção de princípios de gamificação, ou seja, no uso de mecânicas de jogos para o ambiente de sala de aula, criando espaços de aprendizagem mediados pelo desafio, prazer e entretenimento. Ao realizar essa aposta a partir da seleção e uso de serviços disponíveis na Internet, sugere-se uma sequência de aplicação ajustável, por meio da qual objetiva-se potencializar o desenvolvimento de habilidades cognitivas tais como planejamento, memória e atenção – no intuito colaborar para um processo de aprendizagem integral.
Palavras-chave
Gamificação. Ferramentas online. Tempo presente. Aprendizagem. Ensino de história.
Link
dissertação
Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
KARLA ANDREZA VIEIRA VARGAS VOZES, CORPOS E SABERES DO MACIÇO: MEMÓRIAS E HISTÓRIAS DE VIDA DAS POPULAÇÕES DE ORIGEM AFRICANA EM TERRITÓRIOS DO MACIÇO DO MORRO DA CRUZ/FLORIANÓPOLIS 2016 NUCIA ALEXANDRA SILVA DE OLIVEIRA UDESC
Resumo
Este trabalho tem por objetivo apresentar reflexões a partir das vozes, corpos e saberes das populações de origem africana, em territórios do Maciço do Morro da Cruz, Florianópolis, ancoradas em perspectivas epistemológicas decoloniais. As motivações para o desenvolvimento dessa escrita iniciaram a partir de experiências pedagógicas em unidades de ensino delineadas pela geografia do Maciço. O Território constituído em pelo menos vinte e uma comunidades, possuí aproximadamente trinta mil moradores e moradoras, em sua maioria de origem africana e em situação de vulnerabilidade social. A compreensão de que este enredo deveria ser mobilizado pelo ensino de História, com vistas a superar visões racialistas e colonizadas é uma das contribuições da pesquisa: pensar a História Local a partir da memória de sujeitos vistos como subalternizados. Foram coletados dez depoimentos, entre eles temos jovens, adultos, idosos, homens e mulheres que carregam a insígnia da cor e que protagonizam saberes. A compreensão teórica partiu essencialmente dos estudos de Aníbal Quijano (2012), Antonieta Antonacci (2013), Catherine Walsh (2009), Gayatri Spivak (2010), Mario Rufer (2011), Ramón Grosfoguel (2008) e Walter Mignolo (2003). O texto está estruturado em dois capítulos: no primeiro, as discussões estão tangenciadas pelas reflexões acerca do ensino de História e a Educação Étnico-Racial e no segundo, apresenta-se o Maciço do Morro da Cruz como território e cenário potente para o registro das narrativas das populações de origem africana inscritas neste espaço. A partir das investigações, identificou-se que currículos escolares baseados em concepções eurocêntricas perpetuam práticas colonizadas e nesta esteia, o ensino da História e da cultura africana e afrobrasileira apresenta limitações que necessitam ser superadas. Assim, lidar com territórios e narrativas fora da geopolítica colonial e moderna, contribui para repensar os debates acerca das relações étnico-raciais na escola. Vale dizer que a partir desse material, foi elaborado um livro de memórias e histórias de vida das populações de origem africana dos territórios do Maciço, como projeto de intervenção didática a ser utilizado por professores, professoras e estudantes em unidades de ensino básico, atendendo as demandas do Mestrado Profissional em Ensino de História.
Palavras-chave
Ensino de História. Educação Étnico-Racial. Maciço do Morro da Cruz. Memória e Decolonialidade.
Link
dissertação
Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
LUCAS ROBERTO SOARES LOPES JOGANDO COM A CRÍTICA HISTÓRICA: AS NOVAS TECNOLOGIAS E O DESENVOLVIMENTO DE ―OS REVOLTOSOS 2016 SILVIA LIEBEL UDESC
Resumo
Esta pesquisa tem por objetivo principal desenvolver a base da crítica histórica em alunos dos anos finais do ensino fundamental e médio através da elaboração de um jogo digital. Isso porque perante as novas tecnologias e o caráter multifacetado da História, aparentemente ela parece abandonada e mesmo com menos reconhecimento que as outras ciências que produzem artefatos tecnológicos, cujos resultados são coisas palpáveis, portanto perceptíveis mais facilmente. Espera-se que, jogando ao mesmo tempo em que analisam fontes históricas, os alunos/jogadores consigam entender que as narrativas no mundo digital têm suas intenções, e que a história não serve apenas para a distração ou algo exótico, interessante por não existir mais, mas ao contrário, ela também é uma ciência que tem seu status enquanto tal baseado na crítica, e pa
Palavras-chave
Crítica. Tecnologia. História. Jogos digitais. Ensino de História
Link
dissertação