• Quem é Quem - Profhistória
  • Facebook
  • Youtube

Lista das dissertações dos alunos do ProfHistória



Limpar

Foram encontrados 408 registros

Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
OLGA SUELY TEIXEIRA A HISTÓRIA LOCAL COMO UM CAMINHO PARA O ENSINO SIGNIFICATIVO DE HISTÓRIA NOS ANOS INICIAIS 2018 MARGARIDA MARIA DIAS DE OLIVEIRA UFRN
Resumo
Ensinar História para alunos e alunas dos anos iniciais (1º a 5º Anos da Educação Básica) é entendido, muitas vezes, como uma tarefa que não apresenta dificuldades. Porém, na prática, essa atividade requer, do profissional docente responsável por ela, alto grau de reflexão, uma vez que está lidando com a formação do cidadão. Assim sendo, e mediante observações realizadas no ambiente escolar, surgiu a presente pesquisa. Existem várias justificativas para o desenvolvimento de um trabalho nesses moldes, porém posso destacar o fato de a maioria das pesquisas realizadas nos Mestrados Acadêmicos se voltar para as formas de ensinar História e se desenvolver a partir das salas de aula dos anos finais (6º a 9º Anos) e/ou ensino médio. Aqui, são priorizados os objetivos do ensino e as turmas nas quais as crianças estabelecem os primeiros contatos com essa disciplina, muitas vezes determinante para a relação que manterão com ela ao longo da vida. Além disso, a pesquisa propõe dar uma resposta fundamentada em dados objetivos aos questionamentos feitos pelas colegas professoras dessas turmas sobre como ensinar História de forma menos enfadonha para elas e suas crianças. Os objetivos do trabalho, nesse sentido, foram investigar as práticas de ensino de História desenvolvidas nessas salas de aula e sugerir estratégias que favorecessem a construção do conhecimento histórico a partir da elaboração de material didático proporcionador de condições para auxiliar o aluno/a aluna a pensar historicamente. Para tentar responder à questão problema – como tornar significativo o processo ensino-aprendizagem em História nos anos iniciais? – a hipótese era que a história local poderia ser o objeto a partir do qual os alunos e alunas poderiam aprender a pensar historicamente. A metodologia contou, inicialmente, com uma pesquisa bibliográfica; depois, o trabalho de consulta e análise das fontes (documentos legais da educação nacional, projeto político-pedagógico da escola campo de pesquisa, questionários, planos de aula e diários de campo) dialogando com os referenciais teórico-metodológicos permitiu alcançar, não conclusões, posto que a discussão ainda carece amplamente de pesquisas, mas inferências que apontam rumos e possibilidades para o ensino de História nos anos iniciais. Sobre a hipótese do uso da história local, infere-se que seu uso é eficaz quando se quer formar um cidadão crítico e atuante, uma vez que ela aproxima as crianças do seu cotidiano e permite à escola sistematizar as experiências extramuros, demonstrando que os acontecimentos denominados históricos afetam não apenas a sua localidade, mas se ligam a outros contextos. À proposição de elaborar o material didático/objeto de aprendizagem, responde-se com a ideia de um museu portátil sobre a história do bairro. O produto foi pensado de forma que permita aos alunos e alunas aprender História como se faz História – ou seja, questionando, argumentando e construindo novos conhecimentos a partir de problemáticas específicas, historicizadas e verificadas em diferentes fontes de pesquisa. Esse modelo de material propõe garantir que as crianças percebam o processo histórico sendo construído a partir das ações de todas as pessoas, que todos os dias tomam decisões, se posicionam diante dos acontecimentos e participam da construção do grupo social no qual se encontram inseridas.
Palavras-chave
• PaProfhistória; Ensino. Aprendizagem Significativa. Ensino de História nos Anos Iniciais.
Link
DISSERTAÇÃO
Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
IZABELLA GOMES LOPES BERTONI "ARTE DE GUERRILHA" E ENSINO DE HISTÓRIA: ABORDAGEM DIDÁTICA DA RESISTÊNCIA À DITADURA CIVIL-MILITAR NO BRASIL A PARTIR DAS OBRAS DE CILDO MEIRELES 2018 CLOVIS MENDES GRUNER UFPR
Resumo
A presente dissertação de mestrado aborda a utilização de imagens artísticas como fontes para o ensino de História. Parto da ideia de que os docentes da disciplina de História usam bastante as imagens como recurso didático, porém, diversas vezes, essas imagens limitam-se a espelhar a sociedade, sem discuti-la e colocá-la de fato em debate. Diferentemente disso, nesta pesquisa, busquei trabalhar com imagens artísticas enquanto componentes e construtoras da cultura. Escolhi, como recorte temporal, o período da ditadura civil-militar no Brasil (1964-1985), com destaque para os chamados “anos de chumbo”, durante a vigência do AI-5 (1968-1978). A temática que direcionou tal recorte foi a resistência à ditadura por meio da produção artística visual de uma vanguarda nacional que veio a ser conhecida como “arte de guerrilha”. Os objetos específicos de análise foram quatro obras produzidas pelo artista plástico Cildo Meireles: Inserções em Circuitos Ideológicos: Projeto Coca-Cola (1970); Tiradentes: Totem-Monumento ao Preso Político (1970), Inserções em Circuitos Ideológicos: Projeto Cédula (1975-2013). Ademais, toda a elaboração deste trabalho foi pensada para culminar em uma abordagem didática do conteúdo programático acerca da ditadura civil-militar no Brasil, em sala de aula, com estudantes do 9º ano do Ensino Fundamental. A fim de alcançar esse objetivo, propus-me, em primeiro lugar, realizar uma atividade com as turmas de 9º ano, nas quais eu lecionei esse conteúdo à luz dos resultados das pesquisas obtidas nesta dissertação. Em segundo lugar, propôs-se facultar aos alunos e alunas a produção de uma imagem que evidenciasse alguma questão do presente que gostariam de destacar. Os resultados obtidos com essa atividade demonstraram a importância do uso de imagens como fontes para o ensino de História e de propostas diversificadas na construção significativa de conhecimentos pelos/as estudantes.
Palavras-chave
ProfHistória/ Ensino de história/ Cultura visual/ mídias e linguagens/ Processos históricos recentes/Arte de guerrilha
Link
Dissertação
Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
JOÃO VICTOR LOURES PODCASTS DE STORYTELLING: A PRODUÇÃO DE NARRATIVAS HISTÓRICAS DIGITAIS PARA O ENSINO DE HISTÓRIA 2018 ALINE DIAS DA SILVEIRA UFSC
Resumo
Esta dissertação discute as possibilidades, vantagens e desvantagens do uso de tecnologias em sala de aula para a produção de podcast de storytelling para o ensino de história no ensino fundamental. O podcast de storytelling informa entretendo, é um produto digital em formato de áudio, que tem como característica ser descomplicado, fácil acesso e transporte. A partir da promoção do contato dos alunos com fontes primárias, a produção de narrativas se fundamenta em conceitos básicos da investigação historiográfica, a fim de instrumentalizar a formação da consciência histórica crítica ao mesmo tempo em que lança bases para a construção e entendimento das narrativas históricas digitais. Durante o processo de desenvolvimento desta pesquisa, os alunos do Colégio Estadual Alberto Rebello Valente, em Ponta Grossa-PR, foram encorajados a produzir storytelling com metodologia de produção de conhecimento histórico sobre o período da Primeira Guerra Mundial, utilizando fontes disponíveis na internet. Dessa forma durante a produção das atividades realizadas com os alunos, foram discutidos, também, conceitos levantados pela história pública, como o acesso ao conhecimento histórico, produção, difusão e manutenção de narrativas históricas. Com o desenvolvimento deste tipo de atividade foi possível tornar a o saber histórico escolar de, apenas teórica, em prática, elevando o nível de participação dos alunos, ao mesmo tempo em que eles também se sentiram mais seguros do seu conhecimento e orgulhosos de sua produção.
Palavras-chave
Profhistória; Ensino de História; Narrativas históricas; mídias e linguagens; podcast e storytelling
Link
Dissertação