• facebook

Lista das dissertações dos alunos do ProfHistória



Limpar

Foram encontrados 220 registros

Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
PAULA TATIANE AZEVEDO É PARA FALAR DE GÊNERO SIM! UMA EXPERIÊNCIA DE FORMAÇÃO CONTINUADA PARA PROFESSORAS/ES DE HISTÓRIA. 2016 NATALIA PIETRA MÉNDEZ UFRGS
Resumo
Este estudo tem por objetivo propor um diálogo entre o ensino de História, os estudos de gênero e a formação continuada de professoras/es a partir da experiência de elaboração e aplicação do curso de extensão Caminhos entrecruzados: o ensino de história, gênero e formação de professoras/es, desenvolvido em um ambiente virtual de aprendizagem (AVA) na modalidade semipresencial. O curso foi realizado com professoras/es da rede municipal de ensino da cidade de Canoas/RS com a intenção de contribuir para a formação continuada de professoras/es de História, discutindo fundamentos teórico-metodológicos para refletir os possíveis usos da categoria de gênero no ensino de História. Em termos metodológicos, a pesquisa utilizou algumas ferramentas oriundas de estudos etnográficos, com o olhar voltado ao processo de formação, tendo em vista dois olhares: o da professora/pesquisadora e das/os professoras/es cursistas. Nessa formação, pensou-se o conceito de gênero a partir dos estudos culturais e dos estudos feministas, em uma perspectiva pós-estruturalista, fundamentada principalmente na definição de gênero da historiadora Joan Scott. A finalidade da formação foi desenvolver uma proposta de formação continuada para professores/as de história da rede pública na temática de gênero e história das mulheres. Com a experiência de aplicação da formação, foi possível propor formas de articular gênero e ensino de História com o objetivo de tensionar e superar o modelo vigente de ensino baseado em uma visão tradicional, linear, etnocêntrica e masculina de História.
Palavras-chave
ProfHistória;Ensino de História;Gênero;Formação continuada de professores/as
Link
dissertação
Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
LEANDRO BALEJOS PEREIRA ENSINO DE HISTÓRIA E O OFÍCIO DO HISTORIADOR: A INVESTIGAÇÃO DO PROCESSO DE PATRIMONIALIZAÇÃO DO ESPAÇO FÍSICO DA ESCOLA ESTADUAL PROFESSOR OLINTHO DE OLIVEIRA (PORTO ALEGRE/RS) COM ALUNOS E ALUNAS DO 6º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL. 2016 MARA CRISTINA DE MATOS RODRIGUES UFRGS
Resumo
O presente trabalho assume a relação entre história e memória como um dos desafios disciplinares da História no âmbito da educação básica e pretende refletir sobre o ofício do historiador investigando o processo de patrimonialização do espaço escolar. Desta forma reconhece a materialidade das instituições formais de ensino como possibilidade de atuação da História, enquanto disciplina que proporciona diferentes leituras do mundo, inclusive a reflexão sobre a memória e a cultura material. Tomando em conta estas considerações, propõe-se que alunos e alunas do 6º do ensino fundamental de uma escola pública de Porto Alegre/RS possam construir noções de documento e fontes para a história, da narrativa como mediação entre o passado e a interpretação historiográfica, bem como da noção de patrimônio cultural e seus desdobramentos enquanto possibilidade para a educação histórica. Para concretizar o objetivo enunciado a pesquisa no acervo documental e iconográfico da escola foi simultaneamente recurso metodológico e questão mobilizadora para a produção de conhecimento no ensino fundamental. Além de discutir teoricamente o problema anunciado, operando com os conceitos de patrimônio cultural e patrimônio escolar, e avaliar os resultados da pesquisa, a investigação também descreve e examina a construção de um projeto de exposição, reunindo fotografias e excertos de documentos escritos que compõe o acervo da instituição educativa. A partir da aplicação de instrumento de avaliação escrito, e das anotações efetuadas durante as aulas, foi possível verificar que a maioria dos estudantes conseguiu identificar a importância e a variedade dos vestígios como matéria-prima das fontes para a história e a relação entre a produção historiográfica e as demandas do presente. Também quando questionados sobre diferentes formas narrativas, majoritariamente os estudantes envolvidos na pesquisa identificaram as características da escrita autobiográfica,dos enredos ficcionais e as providências próprias da elaboração do conhecimento histórico. Com relação à noção de patrimônio cultural, a maior parte dos alunos e das alunas reconheceu a tensão entre o papel da memória e a dimensão histórica na patrimonialização dos bens.
Palavras-chave
ProfHistória;Ensino de História;Patrimônio escolar;Projeto de exposição;Fotografia
Link
dissertação
Autor Título da Dissertação Ano Orientador Instituição
MAGNA ABRANTES RODRIGUES HISTÓRIA, ENSINO E MÚSICA O ROCK BRASILEIRO DA DÉCADA DE 1980 2016 MARTHA VICTOR VIEIRA UFT
Resumo
Este trabalho tem como tema o uso da música, mais especificamente o Rock Nacional, em sala de aula, como fonte para se compreender a década de 1980, período onde esse gênero musical foi mais expressivo. Buscamos entender os desdobramentos culturais e políticos através das letras das músicas e do comportamento desses cantores que tocavam o coração da juventude através das suas letras. A escolha do rock se deu por uma tentativa de maior aproximação com alunos, por ser um gênero musical considerado sempre jovem. O nosso objetivo principal é contribuir com a melhoria do Ensino de História e vemos na música um caminho para isso. Debatemos o uso da música como fonte historiográfica, fizemos um diagnostico de como o aluno e o professor veem a música como opção metodológica, porque considero importante ouvir a voz dos sujeitos envolvidos nesse processo de ensino-aprendizagem. Analisamos o Rock como uns dos formadores de identidade da juventude e buscamos, por meio da letra de cada uma dessas músicas, ler a realidade da sociedade brasileira tanto na década de 1980 e perceber como, tanto tempo depois, as reivindicações postas naquele contexto da história do Brasil não foram superadas e ainda são recorrentes na nossa realidade atual. Achamos importante fazer a aplicação de uma dessas aulas propostas para perceber a receptividade do aluno e se foi realmente possível alcançar aquilo que foi proposto inicialmente, uma aula mais dinâmica, participativa, onde o aluno fosse capaz de ler um documento histórico e compreender.
Palavras-chave
Ensino de História, Música e Rock
Link
Dissertação